segunda-feira, 5 de outubro de 2020

Empate contra o Floresta foi positivo para treinador do Campinense



Campinense x Floresta-CE Foto: Daniel Lins/ Campinense Clube
A atuação ruim do Campinense no empate por 1 a 1 diante do Floresta-CE, na tarde de ontem (04), no Amigão, deixou o resultado com uma sensação de injustiça para a equipe cearense, que teve várias oportunidades de chegar à uma vitória até tranquila.
Quem compartilhou a sensação foi o treinador da Raposa, Givanildo Sales. Após o apito final, ele lamentou as lesões na defesa, que afetaram diretamente no desempenho de seu time. Com Coronavírus, Cláudio Baiano e Rômulo ficaram de fora. Anderson Schmoeller se machucou aos 10 minutos de jogo, e Weverson, estreante, teve que sair no meio do segundo tempo com cãibras, pois estava sem o ritmo ideal. Um dos que tiveram que entrar na zaga foi Dorgival, que não treinava há quase duas semanas pois estava isolado com Covid-19.
Com inúmeras baixas, ele precisou alterar o esquema tático, que acabou não encaixando, e passou sufoco jogando em casa, agravado ainda por um meio-campo que foi praticamente inoperante durante os 90 minutos. E sobre este último problema, o técnico espera resolver com um reforço que está chegando, e também com o esvaziamento do Departamento Médico.
– Tivemos que mudar o sistema de jogo devido a lesões, Covid. No que a gente vinha jogando, tínhamos profundidade. Estou satisfeito com os atletas que tenho. O empate, da forma que foi a partida, sai positivo. Como disse a eles após o jogo, a família mostra a união que tem nas adversidades. Vamos trabalhar a semana para buscar os três pontos em Cajazeiras. Vamos rever o que tiver que rever. Disse a eles que vou para casa para fazer minha auto-análise, espero que cada um faça a sua. Precisamos que algumas peças encaixem mais, vamos ver isso no dia dia. Tem o Daniel Sobralense que está chegando, vamos ver como estará a condição física dele – disse.
Criticado após o revés em Sobral por conta de sua individualidade, Rafael Ibiapino teve atuação apagada contra o Verdão da Vila. Jogando ao lado de Fábio Júnior e Jobson, ele teve que desempenhar um papel de recomposição pelos lados do campo, e sua movimentação na frente acabou reduzida.
Givanildo Sales minimizou a situação, e explicou mais uma vez que o esquema adotado aconteceu devido aos desfalques no setor defensivo.
– Jogamos contra o Afogados-PE no mesmo esquema de jogo. Preferi descansar o grupo em Fortaleza porque o time vinha rendendo. Fui para três atacantes porque o Jobson vinha treinando bem também. O Rafael (Ibiapino) participou dentro da função que ele tinha no campo. Se você não tem zagueiros que podem fazer o sistema que vinha sendo feita, a opção foi jogar assim. Eu não tinha como fazer o 3-4-3. Perdi o Anderson com 10 minutos de jogo, entrou um garoto que há 10 dias não treinava, com Covid-19. Vamos trabalhar, e o torcedor pode ter certeza que, com a volta de alguns o DM, e vamos buscar vencer em Cajazeiras – completou.
O duelo entre os paraibanos na Série D acontece no próximo domingo (11), às 16h, no estádio Perpetão, em Cajazeiras.

Voz da Torcida

Nenhum comentário:
Write Comments

Full-Width Version

false
Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter