quinta-feira, 18 de junho de 2020

Justiça determina sequestro de bens de investigados da Operação Calvário

Foto: Paraibaonline
Foto: Paraibaonline
O juiz José Guedes Cavalcanti Neto, da 3ª Vara Criminal de João Pessoa, determinou nessa quarta-feira (17), a pedido do Ministério Público do Estado da Paraíba/PB, através do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), em detrimento de uma Medida Cautelar, o sequestro de bens de oito pessoas investigadas pela Operação Calvário, entre eles do ex-gestor da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB), cujo bem bloqueado é no valor de R$ R$ 6.597.156,19.  O valor total do bloqueio está estimado em mais de R$ 20 milhões.
Conforme a decisão do juiz, pelos depoimentos em colaboração de um dos integrantes do grupo, havia repasse mensal de valores para cada participante da organização e essa situação perdurou por muitos anos. Assim, os indícios de que houve locupletação de dinheiro público são fortíssimos, tendo os imputados como os principais suspeitos de serem os beneficiados pela atividade ilícita desenvolvida na administração do então governador Ricardo Coutinho (foto).
Ainda de acordo com os argumentos do despacho do juiz da Vara Criminal, no caso concreto, o grupo atuava de forma organizada e em colaboração. Passaram vários anos na gestão do governo do Estado da Paraíba, havendo fortes indícios de que os contratos indicados nos autos foram realizados de forma fraudulenta, beneficiando os indigitados em aporte financeiro milionário, consoante demonstrado na cautelar.
Conforme o exposto, restou ao juiz José Guedes deferir o pleito Ministerial de sequestro dos valores pecuniários existentes em contas bancárias dos representados, através do sistema Bacen-JUD, até o limite referenciado para cada representado. Alternativamente, na hipótese de não serem encontrados valores nas contas bancárias, proceda-se o bloqueio de veículos registrados em nome dos representados via Rena-JUD e, sendo infrutífera a ação, proceda-se o sequestro de bens imóveis registrados em nome dos imputados.
A decisão atingiu, além de Ricardo Coutinho, os seguintes investigados no âmbito da operação:
Waldson Souza: R$ 6,5 milhões
Ney Suassuna: R$ 500 mil
Fabrício Suassuna (filho do ex-senador Ney Suassuna): R$ 500 mil
Aracilba Rocha: R$ 500 mil
Edmon Gomes da Silva Filho: R$ 2,5 milhões
Saulo de Avelar Esteves: R$ 2,9 milhões
Gilberto Carneiro: R$ 1,088 milhão
Sidney da Silva Scmid: R$ 1,088 milhão

PARAIBA ONLINE COM  Hacéldama Borba

Nenhum comentário:
Write Comments

Full-Width Version

false
Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter