quinta-feira, 4 de junho de 2020

Hospital das Clínicas de Campina Grande já tem data para funcionar

Em entrevista à Rádio Panorâmica FM, o secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, falou sobre o Hospital das Clínicas, que está sendo construído na antiga Casa de Saúde Francisco Brasileiro, no bairro da Prata, em Campina Grande.

“Isso é um marco na história da assistência de Saúde de Campina Grande”, disse.
De acordo com ele, a abertura está prevista para a próxima sexta-feira, 5, e contará com 113 leitos de enfermaria exclusivas para pacientes suspeitos ou confirmados de Covid-19.
Em relação aos leitos de UTI, o secretário explicou que estão sendo disponibilizados 30 leitos no Hospital de Trauma, e que a escolha foi devido aos pacientes que necessitam de cuidados intensivos e de acompanhamento de múltiplos profissionais de saúde e especialistas.
Foto: Paraibaonline
Foto: Paraibaonline
“A escolha do Hospital de Trauma foi justamente porque lá existem todas as especialidades já disponíveis e isso facilita o atendimento e manuseio terapêutico dos pacientes”, explicou.
Segundo o secretário, no último boletim registrado 71% dos leitos de UTI adulto e 51% de enfermaria estão ocupados em Campina Grande.
“Nós já estivemos em níveis críticos, mas com a abertura desses 30 leitos de UTI adultos no Hospital de Trauma e a abertura de leitos também no Hospital de Campanha do hospital Pedro I isso permitiu uma margem maior de segurança de leitos disponíveis de UTI em CG.”
O secretário destacou que João Pessoa está atingindo nível crítico de 88% dos leitos de UTI adulto ocupados.
Geraldo enfatizou que para diminuir o número de casos no estado, é necessário fundamentalmente da adesão da população ao isolamento domiciliar. E destacou que se isso tivesse acontecido antes, provavelmente nesse momento o número de casos seria menor, possibilitando até uma possível flexibilização.
Sobre o uso de medicamentos como a hidroxicloroquina e a ivermectina, Geraldo explicou que a atitude de prescrever ou não, é prerrogativa do médico, mas que existem alguns elementos que fazem os médicos prescreverem, e a principal delas é a segurança do paciente.
Ele reforçou que não há evidências científicas do uso da hidroxicloroquina e ressaltou que a recomendação que o Ministério de Saúde determina é que o médico ao prescrever tais medicamentos tenha um termo de ciência e consentimento do paciente, de que o medicamento não tem evidências científicas comprovadas e também que o uso da medicação podem causar eventos adversos.
Por fim, o secretário explicou que ao passar a pandemia, o Hospital das Clínicas será direcionado para cirurgias eletivas para todo o interior do estado da Paraíba.

PARAIBA ONLINE

Nenhum comentário:
Write Comments

Full-Width Version

false
Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter