quarta-feira, 18 de março de 2020

Com chuvas abundantes no Cariri paraibano, açude de Boqueirão ultrapassa 36% de sua capacidade


Com as chuvas caídas abundantemente na Paraíba, e que inundaram os rios Taperoá e Paraíba, um oásis se formou no Cariri paraibano. O açude Epitácio Pessoa em Boqueirão, com começou o ano com pouco mais de 18% de sua capacidade, já ultrapassou os 36,% de sua cota, e continua recebendo novas recargas significativas.
Boqueirão que abastece Campina Grande e mais 19 cidades paraibanas, recebeu um expressivo aporte hídrico nas últimas horas, em razão de intensas chuvas no Cariri paraibano. A lâmina d´água do açude subiu 29 centímetros nessas últimas horas, o que corresponde a 5 milhões 418 mil metros cúbicos d´água, segundo dados da Agência Executiva de Gestão das Águas (AESA).
Ontem o açude estava com 145 milhões 758 mil de metros cúbicos, o que corresponde a 31,2% de sua cota máxima que é 411,686 milhões de metros cúbicos de água.
Em menos de 12 horas, o açude recebeu um aporte hídrico de 22.472.493 m³, aumentando seu volume para 168.231.220 m³, o que representa 36,1% da capacidade total.
Esse é o maior volume já registrado no açude desde que ele chegou ao seu pior volume, em 2017, quando atingiu pouco mais de 11 milhões de metros cúbicos de água acumulada.
Somente de terça-feira (17) para esta quarta (18) houve um aumento de 1,11 metros, na lâmina d’água. No período de 01 de janeiro a 18 de março o aumento foi 3,89 metros na lâmina d’água, correspondendo a um aporte hídrico de 67.771.035 m³.
Agora, faltam nove metros de lâmina d’água para que o açude atinja sua marca de sangria. Precisa de muita chuva ainda na região do Cariri para que ele volte a transbordar.
No período de 1º a 17 de março, o acréscimo d´água no manancial foi de 2,78 metros, o que equivale a 45 milhões 298 mil metros cúbicos, conforme informações do meteorologista Isnaldo Costa.
Boqueirão começou o ano com pouco mais de 18% de sua capacidade,e aos poucos foi recuperando a sua capacidade hídrica de armazenamento. Após as chuvas registradas na primeira semana de janeiro, Boqueirão teve um aumento de aproximadamente 20 milhões de metros cúbicos de água.
De acordo com o técnico do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Severino Normandia, o reservatório aumentou 1,65 m na lâmina d’água. O açude está com 18,8% da sua capacidade total.
De acordo com os dados da Aesa, no dia 8 de janeiro, o açude de Boqueirão tinha cerca de 68,67 milhões de m³ e, dias depois o volume subiu para 87,70 milhões de m³, o que correspondiaa um aumento de 19,03 milhões de m³.
No dia 18 de fevereiro, as chuvas aumentaram em 21 cm o volume do açude e novas recargas aconteceram nos dias seguintes.
Construído há 63 anos pelo Departamento Nacional de Obras Contra Seca (Dnocs), o Epitácio Pessoa  tem recebido uma das maiores recargas de sua história nos primeiros dois meses do ano. Com isso, aumenta o sonho da população de ver Boqueirão sangrar de novo. Para atingir a marca de sangria o açude ainda precisa aumentar em pouco mais de 8 metros.
Com capacidade para armazenar 411,686 milhões de metros cúbicos de água, o manancial foi inaugurado em 16 de janeiro de 1957 e logo se transformou na principal fonte de abastecimento de Campina Grande.
Desde a inauguração, em 1957, Boqueirão sangrou 18 vezes, nos anos de 1967, 1968, 1973, 1974, 1975, 1976, 1978, 198, 1984, 1985, 1986 1989. Depois ele passou 15 anos sem sangrar. Na última vez que o açude sangrou em 2011, a população fez festa para comemorar o espetáculo proporcionado pela natureza. Quando o açude de Boqueirão sangrou pela última vez, , ele teve a melhor fase de sua história. Segundo os dados da Aesa, ele passou 202 dias transbordando água ininterruptamente
Fonte: Severino Lopes - PB Agora
Matéria retirada do portal PB Agora
Postado por Juarez Neto

Nenhum comentário:
Write Comments

Full-Width Version

false
Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter