segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Ministro elogia o Gaeco da Paraíba e defende execução da pena em 2ª instância

Foto: Paraibaonline
Foto: Paraibaonline
O ministro da Justiça e Segurança pública, Sérgio Moro, esteve nesta segunda-feira (17), em João Pessoa, numa visita relâmpago para conhecer as novas instalações da Superintendência da Polícia Federal, inaugurada no final de agosto do ano passado, ocasião em que não pode comparecer ao evento, cuja explicação aconteceu durante também uma rápida entrevista coletiva com a imprensa da Capital.
Moro elogiou o desempenho da Justiça Federal na Paraíba que, para ele tem mostrado resultados impressionantes sob a superintendência do delegado federal André Viana Andrade.
“Nós temos pedido, ultimamente, foco em dois males que têm afetado o Brasil: que é a corrupção e criminalidade organizada. A superintendência da Paraíba tem se destacado nas investigações e no enfrentamento desses casos. Apontando em destaque a Operação Calvário e a Pés de Barro”, disse.
Ele destacou ainda que as operações são feitas com independência, porém o Ministério da Justiça, incentiva o bom trabalho policial.
Foto: Paraibaonline
Foto: Paraibaonline
“Ficam aqui os meus elogios públicos à equipe comandada pela superintendência do Estado, pela elevada qualidade dos agentes, delegados, preitos, papiloscopistas que fazem um trabalho de excelente qualidade, que prestam um serviço inestimável à população brasileira”, ressaltou.
Moro destacou ainda que o Ministério da Justiça tem incentivado ainda a integração entre as polícias federais e as estaduais e que na Paraíba tem havido uma excelente integração, respeitando cada um a sua autonomia, em especial a atuação do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco).
“Tudo funciona melhor quando se trabalho em conjunto. Tenho informações que o Gaeco tem trabalho em conjunto com a Polícia Federal, um modelo que não é peculiar da Paraíba, porque existem em outros estados, mas é parte dessa ideia de integração. Então, só vejo louvor numa estruturação mais robusta ou uma ampliação desses grupos de apoio”, avaliou.
Em relação à defesa da execução de penas em 2ª instância, o ministro disse que essa é uma pauta prioritária não só do Congresso Nacional e do Executivo, mas da sociedade brasileira.
Ele frisou que o Ministério da Justiça e Segurança Pública vai fazer o que puder para auxiliar no intuito de que essa matéria seja aprovada pelo Congresso Nacional, seja através da PEC ou através de um projeto de lei da Câmara ou do Senado.
Para Moro, é fundamental que uma investigação criminal que identifique o crime e o autor gere um resultado final e se provada a responsabilidade, o acusado, acima de qualquer dúvida razoável, que sofra as consequências.
“Isso é fundamental. No período em que vigorou a execução da condenação em segunda instância, não houve um aumento significativo da população carcerária. O que acontece é que os processos são mais rápidos e isso reduz a impunidade”, explicou.
Disse ainda que o que vai acontecer é que os acusados poderosos, que conseguem manipular o sistema para se prevenirem, vão ser responsabilizados de uma maneira mais efetiva.
“Independente dos custos, isso tem que ser aprovado e o Ministério da Justiça está preparado se gerar aumento da população carcerária. Isso não é o caso, mas sim saber realmente se queremos igual proteção da lei e justiça para todos”, completou.


PARAIBA ONLINE COM Hacéldama Borba

Nenhum comentário:
Write Comments

Full-Width Version

false
Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter