Inquérito investiga supostos servidores fantasmas e exonerações por vínculo político na Prefeitura de JP


Zênnedy Bezerra comanda a pasta alvo da notícia de fato (Foto: Walla Santos)

A Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de João Pessoa instaurou o inquérito civil nº 002.2019.031733 para apurar possíveis servidores fantasmas na Secretaria de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa (Sedurb), comandada pelo secretário Zênnedy Bezerra, supostas irregularidades na exoneração de servidores ligados a partidos políticos que não fazem parte do grupo de partidos aliados do gestor municipal e corte de gratificações de serviços especiais dos servidores. 
Conforme a Promotoria, há "irregularidades, em tese, no quadro de pessoal da Secretaria de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa, com inclusão de pessoas em razão de vínculo político e partidário e sem a devida contraprestação laboral", de acordo com a narrativa detalhada constante em notícia de fato oferecida ao MPPB.
O problema na folha de pessoal da pasta que integra a administração direta da Prefeitura de João Pessoa está sendo investigado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) em inquérito civil instaurado pelo promotor de Justiça Ádrio Nobre Leite, 37º Promotor de Justiça. 

O promotor publicou portaria afirmando a "existência de elementos fáticos suficientes para abertura de investigação específica" e determinando algumas medidas, como a remessa de ofício à Secretaria de Administração de João Pessoa requisitando, em um prazo de 20 dias, dados relativos ao quadro de pessoal da Secretaria de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa, com a relação nominal dos servidores integrantes do quadro de pessoal da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, inclusive com nome completo, CPF, cargo ocupado e respectiva natureza, informando se o servidor é contratado, em comissão, por concurso público, além de local de lotação, tudo isto no período de junho de 2018 a março de 2019. 
O extrato da portaria sobre o inquérito foi publicado na edição dessa quarta-feira (31) do Diário Eletrônico do MPPB. Mas o inquérito civil  foi registrado no dia 01/07/2019.




Fonte: Redação ClickPB
Matéria retirada do portal ClickPB
Postado por Anne Maracajá