quarta-feira, 20 de março de 2019

Vereadores aprovam cidadania a Bolsonaro em meio a polêmica

Com 12 votos, vereadores de João Pessoa aprovaram nesta quarta-feira (20) o título de cidadão pessoense para o presidente Jair Bolsonaro. A votação aconteceu de forma nominal e contou com duas abstenções e três votos contrários.
Sandra Marrocos (PSB), Tibério Limeira (PSB) e Marcos Henriques (PT) não concordaram com a concessão. Os vereadores Milanez Neto e Humberto Pontes preferiram se abster.
Mesmo aprovado, o projeto foi alvo de polêmicas por parlamentares que acreditaram que a votação não havia atingido os dois terços exigidos pelo regimento. De acordo com Eliza Virgínia, o número previsto pela legislação se refere aos vereadores presentes. “Quem não concordar, vá para a Justiça”, afirmou.
Com cerca de 300 matérias na pauta, entre projetos e requerimentos que buscam benefícios para João Pessoa, os vereadores da Capital, durante sessão ordinária na Câmara Municipal, concentraram suas discussões na concessão de título de cidadania ao presidente.
Discussão antes da votação
A proposta causou polêmica entre os parlamentares. Autor do requerimento, o vereador Carlão da Consolação sugeriu o título quando Bolsonaro ainda era deputado federal, mas afirma que a eleição do parlamentar para Presidência da República reforça a justificativa para concessão da honraria.
“Ele tem ações importantes para João Pessoa e Paraíba. Ele já aprovou mais de R$ 50 milhões que serão destinados a mais de 117 mil famílias paraibanas que trabalham com agricultura familiar”, analisa o vereador em contato com o Portal MaisPB, ao se referir a autorização da União para que o Estado contratasse empréstimo com o Banco Mundial.
O vereador ainda citou a privatização dos aeroportos da Paraíba e crê em aumento no turismo no estado. “A esquerda nunca vai ver um lado positivo de Bolsonaro”, critica Carlão. O mesmo argumento foi utilizado por Eliza Virgínia (PSDB).
Na Casa, parlamentares de Oposição já garantiram o voto contrário ao título. A vereadora Sandra Marrocos (PSB) voltou a mostrar revolta com o retorno do requerimento na pauta da Casa e ao Portal MaisPB, listou motivos que a impedem de ser a favor da concessão. Em protesto, ela compareceu à sessão com uma camisa onde podia ser lido “Ele não”.
“Ele é machista, racista, homofóbico, desrespeitador do povo negro e indígena”, cita a parlamentar, que critica a reforma da Previdência e as decisões tomadas pelo chefe do Executivo em viagem aos Estados Unidos. “Se não fosse triste seria cômico. Além de abrir as fronteiras, sem nenhuma exigência, abre mão da base de Alcântara e o que recebe em troca? Nada”, critica a socialista.
Ainda segundo a vereadora, a facilitação de Bolsonaro com os Estados Unidos pode colocar em risco crianças e adolescentes que podem ser vítimas de exploração sexual.
Sandra também mencionou a extinção do programa Mais Médicos nas capitais e regiões metropolitana, que deixará as unidades de saúde de João Pessoa sem 48 profissionais, o que segundo ela, vai atingir apenas as pessoas em situação de pobreza. “Não é apenas questão por ideológica, ele está fazendo muito mal para o país”, justificou.
Fonte: Caroline Queiroz e Albemar Santos – MaisPB
Postado por Juarez Neto

Nenhum comentário:
Write comentários
Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter