sexta-feira, 22 de março de 2019

Roberto Santiago era núcleo financeiro de organização criminosa, revela Polícia Federal

A Polícia Federal realiza na manhã desta sexta-feira (22) uma entrevista coletiva para esclarecer os desdobramentos da Operação Xeque-Mate que prendeu o empresário Roberto Santiago, proprietário de grandes shoppings da cidade. De acordo com os investigadores, Santiago seria ele financeiro do grupo que chefiava os esquemas de corrupção em Cabedelo.
“Ele foi um componente de uma organização criminosa que estava sendo investigada, inserido no núcleo financeiro da organização. A participação dele não está restrita a hoje, pois já foi objeto de várias denúncias, essa será a quinta. Aqui é apenas um desdobramento de uma operação do ano passado”, explicou um representante do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco).
A polícia esclareceu que a prisão do empresário se deu preventivamente porque existem “fortíssimos indícios que ele negociava em benefício próprio o contrato de lixo da prefeitura de Cabedelo”. Roberto participaria do esquema desde o começo da negociação do mandato do prefeito Leto Viana (PRP).
Entenda - A Polícia Federal cumpriu na manhã desta sexta-feira um mandado de prisão contra o empresário Roberto Santiago, proprietários dos Shoppings Manaíra e Mangabeira.
Os policiais estão nesse momento na  residência aonde o empresário mora  no bairro do Bessa, em João Pessoa.
A Operação Xeque-Mate, que está em sua terceira fase,  começou em em Abril do ano passado com o objetivo de investigar crimes de corrupção na Câmara de Cabedelo.
Os contratos investigados superam a quantia de R$ 42.000.000,00 (quarenta e dois milhões).
A operação contou com a participação de 65 Policiais Federais, sendo realizado o cumprimento de 11 mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados, nos Estados da Paraíba e Rio Grande do Norte, bem como 1 mandado de prisão preventiva.
Foram sequestrados 20 (vinte) imóveis dos investigados, avaliados em mais de R$ 6.000.000,00(seis milhões).
As ordens foram expedidas pela 1ª Vara Criminal da Justiça Estadual de Cabedelo/PB.
CRIMES INVESTIGADOS
Os investigados responderão pelos crimes de formação de organização criminosa, lavagem de  dinheiro, corrupção ativa e fraude licitatória, cuja penas, somadas, poderão chegar a mais de 30 anos de reclusão.
Será concedida entrevista coletiva conjunta entre PF e GAECO/MP/PB às 10h, na sede da Polícia Federal em Cabedelo.

Foto: Reprodução 

Fonte: Yves Feitosa/Assessoria
Matéria retirada do portal Paraíba.com.br
Postado por Juarez Neto

Nenhum comentário:
Write comentários
Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter