Cruz Vermelha: revelações trazidas pelo Fantástico miram no RJ e apenas citam Paraíba, que mantém qualidade nos serviços prestados

A Paraíba foi novamente destaque no Fantástico da Rede Globo. Após as denúncias envolvendo 4 padres da Arquidiocese do Estado, a Paraíba agora foi vista nacionalmente por conta do detalhamento na Operação Calvário. No entanto a Reportagem não troxe  novidades. as revelações trazidas pelo Fantástico miram no Rio de Janeiro  e apenas citaram  Paraíba. O governo do Estado publicou nota ratificando qualidade nos serviços prestados

O programa de maior audiência da televisão brasileira, revelou como funcionava a fraude bilionária da Cruz Vermelha Brasileira, que já recebeu R$ 1 bilhão para administrar o Hospital de Emergência e Trauma da Capital.

No ano passado, a Cruz Vermelha já foi alvo da Operação Calvário I, com prisão de 11 pessoas, incluindo o diretor nacional Daniel Gomes, e Roberto Kremser Calmon, este último preso em um hotel na praia do Cabo Branco em João Pessoa.

Como consequência da Operação Calvário, tocada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e da Paraíba, o governador João Azevedo decidiu impor uma intervenção na administração do Trauma e demitiu um assessor direto da secretária Livânia Farias (Administração), Leandro Nunes Azevedo, que está sendo investigado pela força-tarefa. A denúncia é de pagamento de propina a gestores públicos.

Na reportagem do Fantástico, foi contado detalhes da prisão do assessor da Secretaria de Administração do estado Leandro Nunes Azevedo foi afastado pela gestão após denúncias.

A Cruz Vermelha foi trazida para administrar hospitais na Paraíba, através do ex-governador Ricardo Coutinho.  A propina era entregue até em caixas de vinho. A reportagem mostrou interceptações telefônicas envolvendo gentes públicos envolvidos na fraude.

Em um dos trechos mais contundentes em relação à Paraíba, as imagens mostraram Leandro Nunes Azevedo, um assessor da Secretaria de Administração do Estado, nomeado em 2017, se encontrando com a secretária do empresário Daniel Gomes no Rio de Janeiro e recebendo dela, em um hotel, uma caixa de vinhos na qual estaria escondida uma quantia em dinheiro. Leandro foi preso na última sexta-feira em João Pessoa, mas já havia sido exonerado do cargo que  ocupava no Governo do Estado.

O chefe da organização criminosa, de acordo com o Ministério Público da Paraíba e do Rio de Janeiro, é o empresário Daniel Gomes da Silva, que foi preso quando retornava ao Brasil vindo de Portugal.

Sobre a nova matéria que envolve a Operação Calvário, o Governo do Estado lançou uma nota na qual nega as acusações e externa seu repúdio ao conteúdo divulgado pela Globo: “Numa clara tentativa de confundir a população, o programa misturou irresponsavelmente fatos investigados no Rio de Janeiro a respeito de desvio de verba e má prestação de serviços na saúde pública com a realidade na Paraíba, que é completamente diferente”.

Ainda ontem, após a reportagem, o Secretário de Comunicação da Paraíba, tachou de equívoco a comparação do caso do Rio de Janeiro com a Paraíba. Segundo ele, aqui na Paraíba, as coisas funcionam.
O Governo do Estado da Paraíba externa seu mais profundo repúdio ao modo sensacionalista e irresponsável com o qual o programa Fantástico, da Rede Globo, em matéria exibida neste domingo (3),

NOTA
A respeito de matéria veiculada neste domingo no Fantástico, da Rede Globo, o Governo do Estado da Paraíba reafirma sua posição em continuar trabalhando para assegurar a manutenção da qualidade da prestação de serviços em todas as unidades hospitalares em funcionamento sob contratos com organizações sociais, protegendo a gestão e a aplicação correta dos recursos públicos. Como se sabe, os hospitais de alta complexidade na Paraíba atingiram patamares de qualidade muito diferentes do que registravam antes de 2011. E, neste sentido, o Governo vem ao longo de todos esses anos tomando medidas preventivas a fim de preservar e aprimorar as metas conquistadas. Estando pronto para cobrar que os contratos sejam seguidos na sua mais eficiente integridade, sem riscos para o erário público e, especialmente, para o bem estar da população.
Fonte: PB Agora
Postado por Juarez Neto