terça-feira, 13 de novembro de 2018

Bolsonaro volta a Brasília para discutir Previdência e se reunir com presidentes de tribunais


O presidente eleito Jair Bolsonaro voltará a Brasília nesta terça-feira (13) para discutir a reforma da Previdência Social e se reunir com presidentes de três tribunais superiores. Esta é a segunda vez que Bolsonaro viaja à capital federal desde a vitória nas urnas, em 28 de outubro.
Bolsonaro deixou o condomínio onde mora, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, às 5h22, em direção à Base Aérea do Galeão, onde chegou às 5h58 . De acordo com a assessoria, ele viaja acompanhado pelo filho Carlos Bolsonaro e assessores. O comboio de seis carros foi acompanhado de pelo menos oito batedores.
Conforme a agenda divulgada pela assessoria do novo governo, Bolsonaro deve decolar do Rio de Janeiro às 7h e chegar a Brasília às 8h30.
Na semana passada, ele passou três dias em Brasília e se reuniu com os comandantes das Forças Armadas; com o presidente Michel Temer; e com outras autoridades, entre as quais Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).
Já nesta terça-feira (13), durante a manhã, Bolsonaro trabalhará no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde funciona o gabinete de transição. À tarde, terá a seguinte agenda:13h: audiência com a ministra Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE);
14h30: audiência com o ministro João Batista Brito Pereira, presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST);
16h: audiência com o ministro José Coêlho Ferreira, presidente do Superior Tribunal Militar (STM).
Para quarta-feira (14), a previsão é que Bolsonaro participe de reuniões com a equipe de transição, discuta a escolha de novos ministros e receba parlamentares e embaixadores.

Previdência Social

Coordenador da transição e futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoniinformou nesta segunda-feira (12) que Bolsonaro se reunirá com parlamentares para discutir a proposta de reforma da Previdência Social.
A ideia, segundo Onyx, é discutir itens que não exigem mudanças na Constituição, ou seja, que podem ser aprovados com um número menor de votos no Congresso Nacional.
No entanto, o próprio Bolsonaro já declarou avaliar que "dificilmente" algum item será aprovado ainda neste ano, como ele vinha defendendo.

Ministros

Ainda segundo Onyx Lorenzoni, o presidente eleito pretende avançar nesta semana na definição do número de ministérios e nos nomes dos futuros ministros.
Além de Onyx, outros cinco ministros já foram anunciados:
Atualmente existem 29 ministérios, mas Bolsonaro já informou que pretende ter no máximo" 15 pastas a partir do ano que vem.
G1 

BORGES NETO SE LIGA PARAÍBA

Nenhum comentário:
Write comentários
Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter