sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Paraíba confirma 777 novos casos de Covid-19 e três mortes nas últimas 24 horas



Imagem ilustrativa – Foto: Ricardo Puppe/Secom-PB
Nesta quinta, 17 de setembro, a Paraíba registrou 777 novos casos de Covid-19 e 11 óbitos confirmados desde a última atualização, 03 deles ocorridos nas últimas 24h. Até o momento, 115.359 pessoas já contraíram a doença, 88.042 já se recuperaram e 2.670, infelizmente, faleceram. Até o momento, 347.325 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.
A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 38%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 34%. Em Campina Grande estão ocupados 44% dos leitos de UTI adulto e no sertão 43% dos leitos de UTI para adultos.
Casos Confirmados: 115.359
Casos Descartados: 152.133
Óbitos confirmados: 2.670
Casos recuperados: 88.042
Total de municípios: 223

Os casos confirmados estão distribuídos por todos os 223 municípios paraibanos. A diferença de casos de ontem para hoje é de 777, nos quais 10 municípios concentram 489 casos, o que representa 62,9% dos casos em toda a Paraíba. São eles:

João Pessoa, com 153 novos casos, totalizando 28765; São Bento, com 80 novos casos, totalizando 2660; Campina Grande, com 64 novos casos, totalizando 12710; Itaporanga, com 62 novos casos, totalizando 648; Alagoa Grande, com 30 novos casos, totalizando 1313; Belém do Brejo do Cruz, com 23 novos casos, totalizando 120; Cabedelo, com 19 novos casos, totalizando 2923; Cajazeiras, com 19 novos casos, totalizando 1836; Guarabira, com 19 novos casos, totalizando 4409; Patos, com 19 novos casos, totalizando 4049.
*Dados oficiais preliminares (fonte: SIM, e-sus VE e SIVEP) extraídos às 10h do dia 17/09, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Até hoje, 165 cidades registraram óbitos por Covid-19. Os 11 óbitos registrados nesta quinta ocorreram em hospitais públicos entre 18 de julho e 16 de setembro, 03 deles nas últimas 24 horas, entre residentes de 09 municípios. Os pacientes tinham idade entre 45 e 90 anos, 04 deles tinham menos de 65 anos. Cardiopatia foi a comorbidade mais frequente.

Homem, 80 anos, residente em Barra de São Miguel. Portador de cardiopatia. Início dos sintomas em 06/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 16/09/2020.
Homem, 63 anos, residente em Mamanguape. Hipertenso, diabético, cardiopata, portador de doença neurológica e de doença renal. Início dos sintomas em 20/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 16/09/2020.
Mulher, 79 anos, residente em Olho d’Água. Portadora de doença respiatória. Início dos sintomas em 04/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 16/09/2020.
Mulher, 55 anos, residente em Boa Ventura. Portadora de doença hematológica. Início dos sintomas em 01/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 15/09/2020.
Mulher, 75 anos, residente em Guarabira. Hipertensa, diabética e portadora de doença renal. Início dos sintomas em 29/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 15/09/2020.
Mulher, 90 anos, residente em Santa Rita. Cardiopata e portadora de doença respiratória. Início dos sintomas em 20/08/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 15/09/2020.
Mulher, 75 anos, residente em Campina Grande. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 02/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 14/09/2020.
Homem, 45 anos, residente em Campina Grande. Portador de doença renal e neoplasia. Início dos sintomas em 06/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 13/09/2020.
Mulher, 72 anos, residente em Campina Grande. Portadora de cardiopatia. Início dos sintomas em 08/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 11/09/2020.
Mulher, 73 anos, residente em Cuité. Diabética. Início dos sintomas em 02/09/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 10/09/2020.
Homem, 64 anos, residente em João Pessoa. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 27/06/2020. Foi a óbito em hospital público no dia 18/07/2020.
Os dados epidemiológicos, ocupação de leitos e informações de todos os municípios estão disponíveis em: www.paraiba.pb.gov.br/coronavirus

PARAIBA.COM.BR com assessoria

Paraíba é o segundo Estado mais competitivo do Nordeste e se destaca em ações de segurança e infraestrutura hídrica



A Paraíba é o segundo Estado mais competitivo do Nordeste, de acordo com o Ranking de Competitividade dos Estados, elaborado pelo Centro de Liderança Pública (CLP) e divulgado nesta quinta-feira (17), em solenidade virtual, que contou com a participação do governador João Azevêdo. 
O Estado também se destacou na modalidade Boas Práticas, com as ações desenvolvidas pelo Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase), ficando entre os seis finalistas entre os 156 cases inscritos pelas gestões estaduais no Prêmio Excelência em Competitividade.
Durante a 9ª edição do Ranking de Competitividade dos Estados, o governador João Azevêdo destacou que o Procase assegurou a implantação de ações de infraestrutura hídrica nas regiões do Cariri e Curimataú, por meio da perfuração de poços, implantação de dessalinizadores, de barragens subterrâneas e da distribuição de kits de irrigação.  
“A Paraíba é um estado que tem praticamente 90% dos seus municípios dentro da região do semiárido, o que caracteriza uma necessidade de uma atuação diferenciada para cerca de 60% da população e, por meio do programa Procase, em parceria com o Fida, nós fizemos um investimento de US$ 50 milhões, beneficiando 23 mil famílias em áreas de segurança hídrica para a produção, comercialização, treinamento, capacitação  e a criação de uma consciência ambiental para que a gente pudesse reverter os índices de pobreza e de baixa produtividade nas regiões do Cariri e Curimataú”, explicou. 
O gestor também ressaltou o caráter inclusivo do projeto. “Quase metade dos beneficiados foram famílias administradas por mulheres empreendedoras. Tivemos um olhar diferenciado para os quilombolas e para os jovens do campo para que eles tivessem acesso às novas tecnologias, garantindo uma produção mais qualificada, o que resultou no aumento da geração de renda”, disse. 
Na oportunidade, o chefe do Executivo estadual ainda participou de um painel sobre Segurança Pública e destacou a eficiência das ações implantadas no segmento, levando a Paraíba a figurar na quinta colocação no pilar da segurança em 2020. “Nós estamos realizando muitos investimentos em inteligência e tecnologia, estamos implantando os Centros Integrados de Comando e Controle, envolvendo a atuação de 14 Secretarias, e instalando cerca de duas mil câmeras em todo o Estado, permitindo que esse trabalho tenha resultados significativos”, frisou. 
Por fim, ele evidenciou que a Paraíba figura em primeiro lugar no Brasil em relação à oferta de serviços digitais e também ocupa a primeira posição no registro das medidas de gestão pública adotadas na plataforma on-line do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Administração e Planejamento (Consad) para enfrentamento da pandemia provocada pela Covid-19, além de possuir rating B pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN). 
Ranking de Competitividade – O ranking apresenta a análise e capacidade competitiva de todos os estados brasileiros, além do Distrito Federal, agrupados em 10 pilares. A entidade analisa os itens de infraestrutura, educação, capital humano, sustentabilidade ambiental, segurança pública, sustentabilidade social, solidez fiscal, potencial de mercado, inovação e eficiência da máquina pública.

Secom-PB

Polícia Civil prende foragido da Justiça acusado de homicídio em Monteiro




Foto: Reprodução
A Polícia Civil da Paraíba, por meio do Grupo Tático Especial (GTE) de Monteiro, prendeu na terça-feira (15), um homem condenado pela Justiça por ter cometido crime de homicídio doloso.
“Os investigadores realizaram uma consulta rotineira nos Mandados de Prisão abertos e, ao perceberem que o condenado possuía ordem de prisão definitiva pelo crime do art. 121 do Código Penal (Homicídio), deram voz de prisão ao mesmo, que por sua vez declinou que estava na cidade de Monteiro, se rotulando de cuidador de pessoas, tudo com o propósito de mascarar a sua condenação por aquele crime”, relatou o delegado Gilson Duarte.
Com esse trabalho de averiguação dos mandados em aberto, os agentes de Polícia Civil da seccional de Monteiro estão localizando e dando voz de prisão a muitos infratores que, apesar de já terem sido condenados pela Justiça, permaneciam circulando normalmente pela cidade ou pela zona rural naquela região.

Assessoria Polícia Civil

Em uma semana, o Brasil registra queda de 30% dos casos e 13% no número de óbitos



Os casos de covid-19 caíram 30% na semana epidemiológica 37 em relação à semana anterior. Já as mortes registraram diminuição de 13% no mesmo intervalo. Foi a primeira vez em que as duas curvas apresentaram uma redução acima de 10% juntas desde o início da pandemia.
A evolução das curvas de diagnósticos e óbitos relacionados à pandemia do novo coronavírus está no novo boletim epidemiológico sobre a doença do Ministério da Saúde, apresentado em entrevista coletiva nesta quinta-feira (17).
A semana epidemiológica (SE) 37 compreende o intervalo de 6 a 12 de setembro. A SE é uma medida empregada por autoridades de saúde para analisar o desenvolvimento de uma determinada epidemia.
Na SE 37 foram contabilizados 192.687 novos registros de casos de covid-19. Na semana anterior (SE 36), o número havia sido de 276.847. A média diária nesta última semana epidemiológica foi de 27.527. A trajetória cresceu e começou uma tendência de queda na SE 29, com uma leve recuperação entre as SE 34 e 36 e agora uma baixa expressiva.
“O Brasil vinha com platô e desde a 29ª semana epidemiológica começou a ter uma tendência de queda. Tivemos um pico no Sul na 35ª semana, mas foi por registro dos novos casos. Quando houve atualização dos casos, já se confirmou uma tendência de redução. Da 36ª para a 37 tivemos redução bastante significativa de 30%”, destacou o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo de Medeiros.

Foto: Evolução do número de novos registros de casos de covid-19 por semana epidemiológica/Ministério da Saúde

Já as mortes nesta semana totalizaram 5.007. Na SE 36, o número havia sido de 5.741. A média diária ficou em 715. “Quando analisamos os óbitos, estávamos com um platô por volta da 23ª, por volta da 29ª já vinha mostrando uma queda gradativa e a 36ª e a 37ª uma redução de 13%. Quando no platô tínhamos por volta de 7 mil, tivemos agora 5 mil nesta última semana”, pontuou Arnaldo de Medeiros.

Foto: Evolução do número de novos registros de óbitos de covi-19 por semana

Covid-19 nos estados

No mapa de casos, pela primeira vez o boletim epidemiológico não trouxe nenhum estado com aumento nos casos. Do total, 24 Unidades da Federação tiveram redução, sendo as mais expressivas em Santa Catarina (-79%) e Pernambuco (-43%). Permaneceram estáveis Piauí, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.
No mapa de mortes, cinco estados apresentaram acréscimos nas taxas, sendo as maiores em Pernambuco (48%) e Minas Gerais (12%). Um estado ficou estabilizado (Rio Grande do Sul) e 21 Unidades da Federação tiveram queda em seus índices, sendo as mais intensas as do Amazonas (-77%) e Pará (-49%).
A maioria dos casos continuou no interior (62%), enquanto a menor parcela ocorreu nas regiões metropolitanas (38%). Já na comparação entre os óbitos, 53% ocorrem nas localidades do interior e 47%, nos grandes centros urbanos.

Foto: Variação dos casos e óbitos entre as semanas epidemiológicas 36 e 37

Testes

Até o momento, foram distribuídos aos estados 6,6 milhões de reações de testes laboratoriais (RT-PCR). Os laboratórios públicos processaram 3,4 milhões de exames. A rede privada realizou 2,5 milhões de testes, totalizando 5,9 milhões. Já os testes rápidos (sorológicos) totalizaram até agora 8 milhões.


Agência Brasil

Mais de 170 países aderiram ao programa de vacinas contra covid-19



Foto: José Cruz/Agência Brasil
Tedros Adhanom Ghebreysus, diretor geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), informou nesta quinta-feira (18) que mais de 170 países aderiram ao programa de aceleração e alocação global de recursos contra o novo coronavírus (Covax). “Mais de 170 países aderiram à Covax, ganhando acesso garantido ao maior portfólio mundial de vacinas candidatas”, informou.
O programa é co-liderada pela OMS que visa impulsionar o desenvolvimento de vacinas para combater a pandemia de covid-19 e ajudar na produção e distribuição dos medicamentos mais eficazes assim que disponíveis.
O Covax tem como objetivo tornar amplo e fácil o acesso à eventuais vacinas para o novo coronavírus, para evitar que guerras por patentes e uma disputa econômica acirrada prejudiquem a chegada do medicamento a países mais pobres.
Mais cedo, durante a conferência de imprensa diária da OMS, Tedros citou o juramento de Hipócrates – compromisso ético que sacramenta o ofício da medicina – para falar sobre a busca de uma cura para a covid-19 que, segundo o diretor, deve ser amplamente testada e reconhecidamente eficaz. “Por milhares de anos, a medicina operou [baseada] em um princípio simples: ‘primum non nocere‘ – antes de tudo, não cause danos. Este princípio é tão verdadeiro hoje quanto no tempo de Hipócrates. Ninguém deve ser prejudicado ao procurar ajuda.”

Agência Brasil

Governo zera Imposto de Importação de vacinas contra covid-19



O Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior, ligada ao Ministério da Economia, publicou hoje (17) no Diário Oficial da União resolução que concede redução temporária para zero da alíquota do Imposto de Importação de vacinas contra a covid-19 e outros produtos relacionados ao combate ao novo coronavírus. De acordo com a resolução, o objetivo é “facilitar o combate à pandemia” de covid-19.
Em março de 2020, uma resolução isentou produtos relacionados ao combate à covid-19 até 30 de setembro.
Uma nova resolução publicada hoje prorroga a isenção até o dia 30 de outubro de 2020. Assim, o novo prazo de isenção também vale para os produtos incluídos na lista hoje.

Produtos
Os produtos incluídos na lista são:
– agente hemostático em gel, composto de gelatina e trombina
– vacina contra covid-19, não apresentadas em doses, nem acondicionadas para venda a retalho
– vacina contra covid-19, apresentadas em doses ou acondicionadas para venda a retalho
– emulsão de alimentação parenteral, apresentada em bolsa com 3 compartimentos, contendo cada um: emulsão lipídica, solução de aminoácidos com eletrólitos e solução de glicose com cálcio
– polivitamínico contendo ácido ascórbico, ácido fólico, DL-alfatocoferol, biotina, cianocobalamina, cloridrato de piridoxina, cocarboxilase, colecalciferol, dexpantenol, nicotinamida, palmitato de retinol, fosfato sódico de riboflavina, em pó liofilizado
– solução glico-fisiológica em sistema fechado, contendo cloreto de sódio, com concentração de 0,9%, e glicose, com concentração de 5% em peso, apresentada em bolsas de PVC
– solução de eletrólitos com pH 7,4, contendo acetato de sódio triidratado, cloreto de magnésio, cloreto de potássio, cloreto de sódio e gliconato de sódio, em sistema fechado, apresentada em bolsas de PVC
– solução apresentada em uma bolsa de PVC, em sistema fechado, contendo cloreto de sódio e de citrato de sódio diidratado
– solução apresentada em uma bolsa de PVC, em sistema fechado, contendo bicarbonato de sódio, cloreto de magnésio hexaidratado, cloreto de potássio, cloreto de sódio e fosfato de sódio dibásico diidratado, em sistema fechado, apresentada em bolsas de PVC
– solução apresentada em uma bolsa de PVC, em sistema fechado, com dois compartimentos, um contendo: cloreto de cálcio diidratado e cloreto de magnésio hexaidratado, e outro contendo bicarbonato de sódio, cloreto de magnésio hexaidratado, cloreto de potássio, cloreto de sódio e fosfato dissódico diidratado
– solução apresentada em uma bolsa de PVC, em sistema fechado, contendo cloreto de cálcio diidratado, cloreto de magnésio hexaidratado, cloreto de sódio, glicose monoidratada e lactato de sódio; hemostático cirúrgico à base de colágeno reabsorvível, revestido de NHS-PEG (pentaeritritol polietileno glicol éter tetrasuccinimidil glutarato).
Agência Brasil

Professora morre de Covid-19 na frente de alunos durante aula virtual




Uma professora universitária de 46 anos morreu de Covid-19 na frente dos alunos, no meio de uma aula virtual na Argentina. Paola de Simone lecionava uma aula virtual no curso de Relações Internacionais. Ela estava em sua casa quando desmaiou na frente dos alunos durante a transmissão pelo aplicativo Zoom.
Ela era docente da Universidad Argentina de la Empresa e estava lutando contra a doença havia várias semanas. O caso aconteceu na última quarta-feira (2).

Imagens do incidente chegaram a ser compartilhadas na internet, causando indignação nas redes sociais.De acordo com o jornal “Clarín”, a professora começou a passar mal durante a aula, deixando os alunos preocupados. Eles chegaram a pedir o endereço da professora para oferecer ajuda, mas ela teria dito que não poderia informar. Foi quando desmaiou e morreu.
Antes de morrer, a professora relatou em seu perfil no Twitter que os sintomas da Covid-19 não davam sinais de melhora conforme o passar dos dias. Ela estava doente há cerca de um mês.
Paola teria sido encontrada já sem vida pelo marido, após ele chegar em casa. Ele, que é médico e tem uma filha pequena com a professora, não estava na residência na hora da morte.
A universidade onde a professora trabalhava publicou uma nota de pesar nas redes sociais lamentando o incidente.
“Paola foi uma professora apaixonada e dedicada, excelente profissional e uma grande pessoa, com mais de 15 anos de trajetória na UADE”, diz o comunicado.

IFPB abre mais de mil vagas para cursos técnicos profissionalizantes. Veja o edital




O Instituto Federal da Paraíba (IFPB) abre, a partir da próxima segunda-feira (14), as inscrições para seleção de Cursos Técnicos Subsequentes -PSCT 2020.2. São 1.085 vagas distribuídas em 13 campi.
Os cursos profissionalizantes têm duração de dois anos para quem já concluiu ou está concluindo o ensino médio. As inscrições seguem até o dia 2 de outubro, pelo site da instituição. A seleção será realizada por meio de análise do histórico escolar.

Para se inscrever o candidato necessita apenas preencher, eletronicamente, todos os itens do formulário de inscrição e o questionário socioeconômico, anexando o histórico escolar ou boletim de desempenho individual do Enem. Metade das vagas ofertadas pelo IFPB é destinada para candidatos vindos da rede pública de ensino.As oportunidades para o PSCT Subsequente 2020.2 do IFPB são para os seguintes cursos técnicos: Administração; Meio Ambiente; Química ;Edificações; Eletromecânica; Manutenção e Suporte em Informática -MSI; Mineração; Eletrônica; Equipamentos Biomédicos; Eletrotécnica; Mecânica; Secretariado; Cuidador de Idosos; Informática; Sistema de Energias Renováveis e Agropecuária.
Há também reserva para quem possui renda familiar bruta igual ou inferior a 1,5 salário mínimo per capita, um percentual para candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas e pessoas com deficiência (PcD). Para o curso de Técnico em Instrumento Musical, o edital com 60 vagas será divulgado em breve.
Veja o edital completo
PB AGORA

Ministério da Saúde notifica 924.238 casos prováveis de dengue em 2020



A crise sanitária causada pela pandemia voltou a atenção da população para os cuidados preventivos contra a Covid-19. Outra conhecida doença, no entanto, vem apresentando números altos em 2020. Entre 29 de dezembro do ano passado e agosto deste ano, o Ministério da Saúde registrou 924.238 casos prováveis de dengue em todo o país, com taxa de incidência de 439,8 diagnósticos por 100 mil habitantes.
Entre as regiões do Brasil, Centro-Oeste apresentou a maior taxa com 1.159 diagnósticos por 100 mil habitantes, seguida das regiões Sul (929,2 casos/100 mil habitantes); Sudeste (339,1 casos/100 mil habitantes); Nordeste (240,7 casos/100 mil habitantes) e Norte (106,7 casos/100 mil habitantes). No cenário entre os estados, Acre, Bahia, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal tiveram incidências acima da apresentada no país como um todo.

“No período anterior de avaliação, verificamos nos nossos trabalhos que 80% dos criadouros que foram encontrados eram removíveis. São aqueles locais em que, muitas vezes, as pessoas têm pratos, garrafas, tampas, vasos, que possam acumular água. São recipientes que podem ser eliminados do ambiente. Uma vez que conseguimos fazer a eliminação desses materiais, é um criadouro a menos para o mosquito”, diz chefe da Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores.No sul do Brasil, o Paraná também esteve acima da média nacional. O estado teve 227.724 casos confirmados até julho deste ano, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. A chefe da Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores da pasta, Emanuelle Pouzato, destaca que a maior parte dos criadouros identificados no estado estava dentro dos domicílios e chama atenção para a importância dos cuidados dentro de casa.
Emanuelle Pouzato também ressalta que o mosquito Aedes Aegypti tem se adaptado a diferentes ambientes para poder sobreviver. “Muitas vezes foram encontradas larvas do mosquito em locais onde não se encontrava, como fossas que não estavam bem vedadas. É importante, neste momento, que a população esteja engajada na eliminação dos criadouros que são passíveis de eliminação”, completa.
Do outro lado do país, no Amapá, o cenário é diferente. Houve redução de 78,9% de casos registrados de dengue em agosto de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado. No entanto, mesmo com o número expressivo de queda nos registros da doença, o superintendente de Vigilância em Saúde do Amapá, Dorinaldo Malafaia, alerta que pode haver subnotificação de casos no estado.
“Nossa avaliação é de que, por um lado pode representar subnotificação de casos em virtude do que foi o reflexo do coronavírus, a partir do momento que teve aplicação do isolamento social, quarentena e lockdown. Isso estabeleceu que tivesse uma procura menor por parte da população às unidades básicas de saúde. E também, pode refletir um diagnóstico diferencial, ou seja, uma dificuldade na identificação entre os sintomas da dengue e da Covid-19”, ressalta.
Malafaia explica ainda que os serviços do poder público de combate à proliferação da dengue foram afetados pela pandemia. “Em virtude do isolamento social e decretos, agentes de endemia não estão indo à campo. Estamos fazendo agora reuniões para retomada dos serviços. Os indicadores epidemiológicos do Amapá estão em queda, o que permite que possamos retomar as atividades de combate ao Aedes”, diz.
Zika e chikungunya
O boletim epidemiológico do Ministério da Saúde também trouxe dados sobre chikungunya. Foram notificados 66.788 casos no país, com taxa de incidência de 31,8 casos por 100 mil habitantes. As regiões Nordeste e Sudeste apresentam o maior número de casos por 100 mil pessoas, com 79,2 casos/100 mil habitantes e 22,0 casos/100 mil habitantes, respectivamente.
Com relação aos dados de Zika, a taxa foi de 2,8 casos por 100 mil habitantes, em um total de 5.959 casos em território nacional. A região Nordeste apresentou a maior incidência (7,3 casos/100 mil habitantes); seguida das regiões Centro-Oeste (3,4 casos/100 mil habitantes); e Norte (2,0 casos/100 mil habitantes).
PB Agora

Fies 2020: Portaria define regras para vagas remanescentes



Serão 50 mil beneficiados; inscrições serão feitas pela internet
O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) terá nova seleção para vagas remanescentes. O programa do governo federal, que financia estudos em cursos superiores, abrirá cerca de 50 mil vagas. O Ministério da Educação publicou ontem (16), uma Portaria com as regras da seleção no Diário Oficial da União. O edital com o cronograma ainda não foi divulgado.

Caso o candidato precise alterar alguma informação na inscrição já concluída, terá que pedir o cancelamento dela e fazer uma nova inscrição, sendo que nesse momento, o candidato perde a vaga no curso escolhido, podendo a referida vaga ser ocupada por outro candidato que concluiu a inscrição antes dele.A ocupação das vagas remanescentes ocorrerá de acordo com a ordem de conclusão das inscrições. Por isso, o MEC destaca que é importante conhecer as regras dispostas na Portaria, e que também constarão no edital que será publicado em breve.
As vagas remanescentes do Fies são aquelas que não foram preenchidas no processo regular de 2020. Cada candidato poderá concorrer a uma vaga em um dos cursos disponíveis no sistema de inscrição. 
Estão aptos a participar dessa nova etapa aqueles que participaram de uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com o mínimo de 450 pontos na média das cinco provas do Exame, além de nota superior a zero na redação do Enem e possuírem renda mensal bruta de até três salários mínimos por pessoa da família.  O Fies pode ser concorrido tanto por aqueles que ainda não entraram no ensino superior ou quem já possui matrícula, mas não tem condições financeiras de arcar com o valor das mensalidades.
Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Full-Width Version

false
Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter